sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Eu, eu mesmo e eu

Como todos meus amigos estão escrevendo sobre heterônimos, vou escrever sobre também, ainda mais porque sou fã do Fernandão o/ (Fernando Pessoa para os menos íntimos).
Heterônimos, não existem na verdade. Não fingimos ser alguém, nos simplesmente vivemos aquele alguém que fingimos ser. Meio complicado de entender, mas vamos por partes.
Se finjo ser frio, então sou frio, isso é uma parte de mim, um desejo oculto, uma parte não revelada, até mesmo uma mera curiosidade, mas saciada a curiosidade, o desejo de ser outro, você anexa essa experiência ao seu próprio ser. Sendo esse "anexo" uma experiência boa, que você viveu e quer continuar a viver, uma experiência ruim da qual você nunca mais vai querer passar, então nunca mais "fingirá" ser aquela pessoa, ou...sei lá, cada um com seus problemas!
Isso é o que acho, isso é o que penso e o que sinto, então, irei deixar uma mensagem de um possível heterônimo meu, aquele cujo nome é minha alcunha: Fake Angel.

" Nos somos cavaleiros, somos príncipes e princesas,
Somos tudos que queremos e não somos nada,
Somos simplesmente experimentos,
De uma mente cansada,
Da monotonia casual,
Somos tão frágeis, tão letal...
Somos você, e não somos...
Somos alguém, somos...ninguém "

Digressão: O Fake Angel precisa aprender a escrever =x

3 comentários:

Kah Luchesi disse...

Heterônimos me perseguem, me cansam, me fazem sofrer, me fazem amar pessoas erradas, me fazem sonhar com coisas impossíveis... Heterônimos me fazem mal, mas mesmo assim não os deixo ir. Por que será? u.u

ps: O Fake Angel escreve bem *-* Mas talvez o Lucas possa dar algumas aulas pra ele ;)

nanda disse...

Eeeeiii o apelidinho carinhoso do Fer é meu, da licença ??
uhsauhsahusuahhsasa
brik's more ^^

nháaa amei o poeminha do seu F.A. ;D

._.' sem mais comentários u_u'

Tsky disse...

ficou muito legal, no começo confuso, mas com um mensagem no final, ficou otimo (: